Procon orienta sempre que em caso de divergência de preços, o consumidor deve pagar o menor valor

Recentemente foi estipulada uma lei em que o varejista é obrigado a informar na etiqueta o preço à vista e o valor fracionado, ou seja, o preço por litro, grama, kg, unidade etc. Com essa lei, o consumidor tem instrumento facilitado para comparar tamanho de embalagem e saber se é, de fato, mais econômica.
 
Foi então que ocorreu um erro em uma loja do Carrefour. Ela acabou dando maior destaque a esse preço por litro (R$3,98) do que para o preço total do Amaciante Fofo 5L, cuja unidade estava por R$19,90. Os consumidores da loja foram atraídos pelo baixo preço em destaque, sem notar as letras menores, com o preço de fato do produto. Com outros produtos, ocorreu o mesmo problema: uma embalagem com seis unidades de sabonete Dove, por exemplo, estava a venda por R$1,50. Um olhar mais atento revelava o preço correto: a embalagem era R$8,99, a um custo de R$1,50/unidade. Só que a informação sobre o preço total aparecia em letras bem menores.

Quem percebeu a quase “pegadinha” foi a funcionária pública Juliana Santana, que esteve em uma das unidades da rede e compartilhou as imagens no Twitter. “Me deparei com o corredor de entrada com as placas desta forma. O pior é que elas não estavam na altura dos olhos, tive que chegar bem perto para ver o que diziam as letras pequenas”, contou a consumidora.

Post no Twitter mostrando as “pegadinhas” dos preços

Fonte: Veja